quinta-feira, 10 de julho de 2008

Eleição Americana por Lucas Mendes

Barack Obama mudou de opinião sobre a guerra no Iraque. A âncora de sua campanha era a retirada das tropas. Semana passada, ele disse que é preciso “refinar sua opinião sobre essa retirada”.

Mudou de idéia também sobre financiamento público da campanha - era a favor e, agora, com os cofres cheios, mudou de idéia.

Ter armas em casa: agora é a favor.

Pena de morte: era a favor só para casos de homicídios. Agora concordou com os dois juízes mais conservadores da Suprema Corte num caso sobre estupro de criança.

Prometia bloquear a proposta de imunidade às companhias de telefone que espionaram cidadãos americanos a pedido do governo. Votou a favor.

Era contra a política de dar dinheiro do governo para igrejas. Agora é a favor.

A sorte dele é ter um adversário não menos mutante, neste momento sem rumo, abandonado pela ultradireita, desesperado em busca dos independentes e dos democratas de Reagan, mas McCain nunca levou seu eleitorado às alturas.

Em novembro um colunista poderá escrever: Obama mata a esperança e acerta na mosca. Ou vice-versa.

Thales Azevedo.

Um comentário:

Alexandre disse...

Obama é muito esperto mesmo. Dá medo.