segunda-feira, 27 de outubro de 2008

O Pink e o Cérebro




Navegando pela internet, mais particularmente no site de Luiz Azenha, vi alguns comentários sobre essa eleição da cidade de São Paulo. Vamos lá.


Stella (27/10/2008 - 10:33) Permita-me discordar Azenha, mas a grande me(r)dia, o poder econômico e o neo-coronelismo paulistano elegeram um poste. Agora temos o Pink e o Cérebro governando a capital e o estado, mas para sorte do Brasil, parou aí. Graças a Deus, São Paulo definitivamente não é o Brasil.

Messias Franca de Macedo (27/10/2008 - 11:00) O [verdadeiro] José Serra Elétrica [José Serquécia] que deve ser apresentado ao Brasil. Um político obcecado pelo poder, rancoroso, que faz política não visando o bem comum, e sim objetivando seus espúrios e inconfessáveis interesses sórdidos."...

Eu acho que ele [Kassab] foi uma pessoa fabricada. Ele é uma espécie de Pitta que deu certo. O Pitta foi fabricado pelo Maluf igualzinho o Kassab foi fabricado pelo Serra. Quem era Kassab antes do Serra? Eu mesma nunca tinha ouvido falar dele, assim como ninguém tinha ouvido falar do Pitta. É o Pitta que deu certo. E deu certo porque o PSDB, embora rachado e enfraquecido por divisões internas, se deu conta de que ele era a maneira que tinha de ganhar a batalha contra o PT, que é seu grande adversário..."

[Maria Victoria Benevides CIENTISTA POLÍTICA, 66, Professora titular da Faculdade de Educação da USP e autora de "O Governo Kubitschek" (1976), "A UDN e o Udenismo" (1980), "O Governo Jânio Quadros" (1981) e "O PTB e o Trabalhismo" (1989), entre outros livros - em entrevista a "Folha de São Paulo (27/10/08).]

E sobre a comemoração da vitória:

... Lojas fechadas, noite de domingo, a praça Ramos de Azevedo, no centro, é tradicional refúgio de moradores de rua, cheiradores de cola e usuários de crack. Foi lá que, ontem, aconteceu a festa da vitória de Gilberto Kassab. Dos 3,8 milhões de votantes que escolheram o democrata, menos de mil (segundo a Polícia Militar) compareceram à festa. Sem prática em "festas da vitória", o DEM paulistano usou uma trilha sonora eclética para animar os fiscais de urna e cabos eleitorais que reuniu na praça: tinha "Festa no Apê", de Latino (em ritmo de bate-estacas), "Me Leva" (na voz de Calcinha Preta), "Louvação ao Senhor Jesus" e, é claro, o hino de campanha. "Nesse a gente confia."(...) Às 21h, vereadores da aliança e subprefeitos subiram as escadarias do Teatro Municipal. Ao lado de Wadih Mutran, do partido de Maluf (PP), o tucano Ricardo Montoro era o mais eufórico. Acenava todo o tempo para cabos eleitorais e habitués da praça, como se ele próprio fosse o vencedor nas urnas. "Ué, é ele que é o Kassab?", perguntou uma dama toda de vermelho, que parecia ter entrado na festa errada. Logo depois, estava fumando crack com meninos de rua. O lugar é mesmo barra pesada de noite e muitos já tinham desistido de esperar. Mas às 21h30, Kassab chegou. Falou "muito obrigado" e mais alguma coisa que não se sabe porque o microfone falhou. Dez minutos depois, foi embora. Fim de festa.

Fonte: Laura Capriglione, da reportagem local da Folha


Próximo passo do Pink e Cérebro: Dominar o mundo!


Alexandre Rios.

Um comentário:

Thales Azevedo disse...

HAHAHAHAHAHAHA.

A esquerda conspiratória e festiva de sempre - mais cômica que qualquer desenho animado.